Últimos assuntos
» 666
Seg Jun 26, 2017 9:58 pm por Gessimiel

» Pena de morte para bandidos
Seg Jun 19, 2017 6:50 am por Isaque palazon

» Os 7 (sete) Espíritos de YHWH
Qua Fev 22, 2017 12:16 am por azzi

» Apresente-se aqui
Qua Nov 23, 2016 2:40 pm por Paulo Henrique Gasparino

» Viver em Israel - Imigração
Dom Nov 20, 2016 1:43 pm por Oziel rodrigues

» Judeus Messiânicos e suas heresias.
Sex Out 21, 2016 6:59 am por EderTe

» A "Fé Evangélica" é genuinamente bíblica?
Ter Out 18, 2016 9:35 pm por Roberto Gavazza

» 2 samuel 24:1 x 1 cronicas 21:1
Ter Out 18, 2016 7:17 pm por Roberto Gavazza

» Bnei Noach
Ter Out 18, 2016 3:27 pm por Roberto Gavazza

» Decifrando o Apocalipse
Ter Out 11, 2016 11:05 pm por Gessimiel

Menu
  Add a Favoritos

  Home Page

  Regras do fórum

  Portal

  Fórum

  Registre-se

  Quem somos

  Normas e Dicas

  Estudos biblico

  Mapa de Israel

  História de Israel

  Aula de Hebraico

  Dicionário biblico

  Biblia em Hebraico


Calendário biblico
Estatísticas
Temos 4255 usuários registrados
O último usuário registrado atende pelo nome de Gibassan

Os nossos membros postaram um total de 16978 mensagens em 1199 assuntos

Cuidado! Sejam astutos como serpentes.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Cuidado! Sejam astutos como serpentes.

Mensagem por Rogeryahu Rocha em Seg Dez 22, 2014 8:13 pm

“Observai! Eu vos envio como ovelhas entre os lobos. Sede, portanto, astutos como as serpentes e inofensivos como as pombas.” Mt 10.16

Em 2010, Israel desenvolveu um supervírus, o Stuxnet, inaugurando uma nova fase na guerra cibernética. Basicamente, o Stuxnet se infiltra em computadores com Windows e permanece “invisível” e no momento certo toma o controle de sistemas de automação de qualquer instalação industrial como no caso da usina nuclear iraniana, que teve cerca de mil centrífugas destruídas por conta dele em 2010. Ele estressava as máquinas e robôs até que eles explodissem ou apresentassem grandes falhas. 
Mas o que este fato tem haver com este texto? É que doutrinas e conceitos podem ser sutilmente infiltradas, colocadas por judeus anti-missionários no credo judaico messiânico, crenças que podem parecer aos incautos como inofensivas, porém o seu objetivo é destruir. A primeira delas é que Yeshua é, de fato, filho de Yosef (José). Veja bem! Que Yosef é o pai carnal de Yeshua. Qual o objetivo deste supervírus? Fazer com que os judeus passem a ver Yeshua como fruto do pecado. Segundo este ensino Yosef era um mau caráter, pois seduziu sua noiva e teve relações com ela antes de se casarem e quando descobriu que ela estava grávida tentou fugir. Com esta atitude ele seria considerado safado até mesmo para os padrões brasileiros do século 21, agora imagine para os padrões de Israel do século I? Ele deveria ter sido apedrejado. 
Agora vamos a Myriam (Maria), por meio deste ensino, declara que a expressão “virgem” dos evangelhos se refere ao fato dela ser uma jovem, provavelmente uma adolescente, e não uma virgem propriamente dita. Em outras palavras, está dizendo que ela era uma periguete e que foi por essa razão que ficou grávida quando ainda era solteira. Você seria capaz de acreditar que Yeshua foi o resultado da união de um mau caráter com uma vadia? Não acredite nesta mentira! Sejam, pois astutos como serpentes para não se deixarem enganar por este “supervírus” introduzido no judaísmo messiânico. 
Vamos agora à genealogia de Yeshua, Rut (Rute) e Rachav (Raab) não eram israelitas, porem foram tidas como filhas de Avraham (Abraão), por terem sido enxertadas na Oliveira e tiveram a grande honra de fazer parte da ascendência do Messias. Mosher (Moisés) Foi declarado filho da filha do Faraó, mesmo não sendo egípcio. Estes fatos descritos no Tanach está na contra mão do ensino judaico tradicional que diz que só é judeu aquele cuja a mãe seja judia, pois por meio deste ensino se um judeu casar-se com uma não judia seus filhos serão considerados goyim, mas se uma judia casar-se com um goyim seus filhos serão considerados judeus. Esta interpretação é resultado do preconceito, pois declara que somente uma mulher judia será capaz de ser fiel ao seu marido. Portanto se alguém cuja ligação étnica com o judaísmo seja apenas por meio de seu pai ele não poderá ser considerado como alguém que possui ascendência judaica, pois segundo os rabinos, a possibilidade dele ser resultado de uma relação extraconjugal de sua mãe é de 93%.      
A razão das diferenças genealógicas entre Lucas e Mattityahu (Mateus) está em que Lucas registrou a genealogia de Myriam, e Mattityahu a de Yosef. Mattityahu está seguindo a linhagem de Yosef (pai legal de Yeshua), através de Shlomoh (Salomão), filho de David; enquanto que Lucas está seguindo a linhagem de Myriam (parente sanguíneo de Yeshua), através de Natã, filho de David. Não existia uma palavra grega para "genro", e Yosef teria sido considerado um filho de Eli (Heli) por ter se casado com Myriam, filha de Eli. Por ambas as linhagens, Yeshua é um descendente de David e, portanto, qualificado para ser o Messias. Registrar a genealogia através do lado materno era incomum, assim como o nascimento virgem. A explicação de Lucas é que Yeshua era filho de Yosef, “como se cuidava” (Lucas 3:23).

Rogeryahu Rocha
Membro
Membro

Mensagens Mensagens : 2

Cidade Cidade : Uberaba

País País : Brasil

Inscrição Inscrição : 22/12/2014

Religião Religião :
  • Judeu messiânico


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum